Saiba tudo sobre a passagem de Wesley Stromberg por São Paulo!

Já vale tristeza pós fim de semana? Por aqui ela bateu bem forte e parou quando lembramos dos momentos incríveis que tivemos com Wesley Stromberg no último sábado (09).

Com produção da Somos Assessoria, o show do Wes contou com Meet&Greet, soundcheck para os fãs, uma sessão de perguntas e respostas, além da participação do seu DJ oficial Summit Jaffe, Any Gabrielly do grupo Now United e o cantor Nathan Barone!

Tivemos um papo super legal com o Wes e com o Summit e você confere agora toda essa entrevista que foi incrível.

Este é o último final de semana do carnaval brasileiro, vocês gostariam de aproveitá-lo?

Summit: Sim! Nos divertimos muito noite passada indo ao carnaval e foi uma experiência que nunca tínhamos visto e passado antes!

Wesley: Foi uma loucura! Tiramos muitas fotos com pessoas diferentes, fãs, imprensa.. Foi maravilhoso! Mal posso esperar para voltar ano que vem.

S: Queremos voltar ano que vem e passar uma semana inteira para curtir as festas e ter ainda mais diversão!

O que podemos esperar de novidade para os próximos meses?

W: Nós estaremos lançando um projeto juntos, então teremos algumas músicas novas e estamos muito animados para lançá-las. Queremos fazer clipes e entrar em turnê, não mais no Brasil este ano, mas queremos entrar em turnê, com certeza. No Brasil talvez a gente volte no próximo ano! Estamos planejando ainda.

O que vocês mais gostam sobre o Brasil e sobre estar no Brasil?

S: Eu gostei muito das pessoas, todo mundo é muito carinhoso, apaixonado e as pessoas são lindas! A comida é muito boa e a música me faz querer dançar!

W: Eu posso dizer que é meu lugar favorito! As pessoas, a paixão dos fãs, a música…

Que tipo de música vocês escutaram no Brasil? Algum artista específico?

W: Nós ouvimos Anitta! Na verdade escutamos muitas músicas, mas não consigo me lembrar dos nomes! Adoramos o funk, as danças, é louco e é muito bom!

Wes, é sua segunda vez aqui no Brasil! O que mudou desde a sua primeira vinda ao Brasil?

W: Muita coisa mudou, desta vez eu estou voltando sozinho [sem os meninos do Emblem3] então toda a expectativa está em cima de mim e por isso decidi trazer o Summit, ele é incrível! Realmente muita coisa mudou, mas o amor continua sendo o mesmo e eu estou muito feliz de estar vivendo isso tudo!

Fofos, não é mesmo? Voltem mais vezes, seus lindos! Estamos esperando por vocês!

Vale lembrar que as fotos do meet & greet já estão no site https://www.flickr.com/photos/168986287@N08/

P.S.: Além da entrevista, tivemos que contar para o Wes que graças a ele, ao Drew e ao Keaton, eu e a Vic nos tornamos amigas e decidimos criar um site juntas, dá para acreditar? O Wes ficou muito feliz em saber disso tudo e nós mais ainda, que pudemos conhecê-lo juntas!

Fomos na pré de Internet – O Filme (e olha no que deu?)

Oi gente!

Na última segunda (13) eu e a Marina marcamos presença sabe onde? Na pré-estreia de Internet – O Filme, com coletiva de imprensa e tudo! Nem preciso falar que a gente amou muito né?

De forma bem resumida, vou falar um pouquinho do nosso dia e logo logo sai o vídeo com alguns momentos que a gente mais gostou! Nós assistimos ao filme antes que todo mundo, isso mesmo, antes até que os atores e ainda de quebra fomos na coletiva onde o Rafinha Bastos, Filippo Cappuzi que é o diretor do filme e parte do elenco responderam perguntas de nós mesmo, jornalistas e blogueiros que marcaram presença nesse dia maravilhoso!

Sobre o filme, ele é incrível real! Conta várias histórias que em determinado momento se unem e formam uma história só, que é a que vemos na internet atualmente: cheia de vloggers e blogueiras e tudo o que envolve a nossa tão amada rede de conexão social!

ATENÇÃO SPOILER!

Logo de início, cada um dos personagens principais são apresentados do seu jeitinho único e que faz cada um ser especial para o filme, sem contar a tão falada “química” que existe entre cada ator e seu personagem! Cada cena deixa claro o quanto cada um deles se dedicou à isso e deu o seu melhor, ainda mais com a produção toda sempre em cima e correndo para que o filme ficasse perfeito em tudo e até detalhes mínimos, como eles mesmos falaram na coletiva.

 

Conforme você vai conhecendo os personagens, você encontra personagens como o cara que decide ficar com uma menina por aposta com os amigos e essa história rende até o final do filme. O casal que é formado logo no começo e bomba instantaneamente, mesmo sem intenção pelo maior youtuber do Brasil. Um gamer que não mostra o rosto por nada e gera expectativa e pessoas atrás dele para descobrir sua verdadeira identidade!

Uma das histórias que eu mais amei foi a da personagem da Gabi Lopes, a Fabi, que não quer de jeito nenhum ser famosa e muito menos youtuber, e do nada, um vídeo seu vaza e viraliza. Ela fez tudo com tanta naturalidade que parecia mesmo que ela estava passando por aquilo.

 

Ainda no elenco, contamos com a presença do Rafinha Bastos, Cellbit, Gusta Stockler, Felipe Castanhari, Pathy dos Reis, Júlio Cocielo, Mauro Nakada, T3ddy, Igão Underground, Cauê Moura, Victor Meyniel e mais muita gente legal da internet!

Internet – O Filme chega aos cinemas de todo o Brasil no dia 23 de fevereiro e você não pode perder porque está muito bom real! Até o próximo post!

Um beijo, Larissa.

Entrevista com S.E.L.V.A

Salveeeee galera! A um tempinho atrás eu comentei sobre o S.E.L.V.A em um dos posts sobre novos DJs que vocês deveriam conhecer. Hoje tive o prazer de conversar um pouco com eles para saber como tudo começou e quais são os projetos futuros deles!

DSC_3977.JPG
Foto por Victória Silva

  • Como surgiu a ideia do S.E.L.V.A?

Nasceu em uma festa hahaha. Eu e o Brian fomos pra uma balada assistir o AfroJack e aquilo basicamente mudou nossas vidas. Estávamos em um momento mais parado musicalmente e decidimos experimentar a produção de música eletrônica. Estamos nos deparando com um universo rico, inspirador e desafiador. É só o começo.

  • Porque desse nome?

É uma sigla secreta. Um dia a gente conta pra todo mundo hahaha.

  • Em que vocês se inspiram para fazer as músicas?

A musica eletrônica tem nos permitido misturar de tudo um pouco. Pra citar alguns artistas que estamos ouvindo bastante agora: Flume, Disclosure, Skrillex, Odesza, Zedd. Fora clássicos que sempre escutamos: Daft Punk, Blink, Oasis, White Stripes.

  • O que vocês mais gostam no fato de participar do projeto juntos?

A gente tem uma ligação criativa muita forte ao mesmo tempo em que divergimos MUITO, ou seja, o projeto acaba cheio de ideias diferentes que acabam se encontrando.

  • Vocês já tiveram alguma experiencia que foi marcante para a carreira de vocês?

A primeira vez que pegamos uma pista e entendemos a diferença entre agradar o público e conquistar o público. Estávamos acostumados a ter pessoas que estavam lá pra ouvir nossa música e ao estarmos atrás das cabines meio que saímos desse lugar, precisamos entender o que o público quer ouvir naquele momento.

  • Vocês sentem algum preconceito por parte dos DJs mais antigos?

Ao contrário. Temos sido bem recebidos pela galera da música eletrônica.

  • O que não pode faltar no set de vocês?

Energia e mistura. A gente gosta de inventar, tocar músicas que ninguém esta esperando.

  • Desde o EDC quando o Skrillex tocou funk em seu set a tendencia da fusão entre o funk e a musica eletrônica aumentou. O que vocês acham desse mix?

Eu acho que ele, como um bom DJ, sentiu o que a “pista” queria naquele momento. Pra mim, não temos um produtor/dj mais criativo ativo no momento do que o Skrillex.

  • O que podemos esperar para os próximos meses?

Em junho lançamos nosso primeiro EP com quatro músicas inéditas. Estamos muito ansiosos pois esta ficando um trabalho super diferente do que as pessoas estão acostumadas a ouvir aqui no Brasil.

 

É isso galera, espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu! Vocês podem acompanhar eles por Facebook, Twitter ou Instagram.  Um beijão <3
Victória Silva

Nossa entrevista com: Michael Band!

OLÁAA PESSOAS LINDAS DESSE MUNDO!

 

Hoje eu estou aqui com mais uma entrevista dessa vida louca de jornalista que eu escolhi ter! Ela foi feita pelo telefone na última quarta feira (16) e foi incrível porque foi com uma pessoa igualmente incrível. Falamos com o Michael Band que está lançando carreira solo na música e que já está garantindo que novidades estão chegando nessa nova fase.

Para saber mais, continua aqui com a gente na entrevista! Mas antes, para quem ainda não escutou vale muito a pena escutar a música nova dele…

 

Como foi para você, lançar a primeira música no projeto solo?

Michael: Cara… Maravilhoso, né? Começar um projeto novo, de algo que eu tô muito afim de fazer, com um som que eu tava muito ansioso para mostrar para o pessoal é algo que foi feito assim, de coração! Que me representa bastante, sabe? Que conversa muito com as minhas influências, com as referências que eu tenho de outros artistas. Então assim, eu tava em uma ansiedade e tô gostando muito dessa nova fase.

 

Quais são as suas inspirações na hora de fazer músicas?

Michael: Eu gosto muito do James Bay, é um dos meus artistas favoritos! Eu gosto muito do George Ezra, gosto muito do Mumford & Sons que inclusive estiveram aqui agora, acabei de ir no show aqui no Brasil! É engraçado, né? A gente gosta muito e quando a gente vai no show a gente gosta mais ainda! Em questão de Brasil, gosto muito de Almir Sater, Renato Teixeira. De coisas antigas assim, Simon e Garfunkel! Eu gosto de tudo!

 

E você já pretende fazer algum pocket show para divulgar essa nova fase?

Michael: Com certeza! Eu tô numa correria aqui organizando as músicas que vão entrar no EP e etc e tal. Mas já tô planejando show, to definindo se vai ser pocket meio acústico, se vai ser com banda, mas vai rolar com certeza. Inicialmente, provavelmente no Rio e São Paulo e depois a gente vai para os outros lugares.

 

O que a gente pode esperar das próximas músicas? Você já está produzindo mais?

Michael: Então, vão conversar com as áreas do folk, um pouco do cantinho americano, então rola violino, rola banjo, violão, acordeon, enfim! Elas ostentam a vibe das músicas que eu escuto, um som que eu gosto muito e elementos que eu gosto muito e todas com um pézinho no pop, de repente a letra um pouco mais pop, de repente a letra é um pouco diferente. Todas elas nesse estilo mas ao mesmo tempo uma diferente da outra, meio que me descobrindo em cada música, experimentando algumas coisas novas.

 

Você ainda tem contato com os integrantes do P9? Vocês pretendem fazer alguma parceria no futuro?

Michael: Então, contato ainda falo com eles! Não vejo eles direto, porque tô trabalhando e eles também, mas falo com eles direto! Outro dia estive com o Igor até, conheci o filhinho dele, então a gente continua super amigo e parceria por enquanto eu acho que tô entrando no meu projeto solo, acho um pouco cedo para fazer parceria de qualquer tipo, mas de repente no futuro… Mas assim, continuam meus amigos, muito amigos ainda e a gente só se vê um pouquinho menos.

 

A @ItReynolds mandou três perguntas para você! Duas já foram respondidas, uma delas foi sobre suas inspirações e a outra se você já tem algum projeto em andamento, de álbum ou clipe. A última que ela pediu foi para você definir seus fãs em uma frase!

Michael: Cara, são tudo para mim! São tipo um pilar para mim de tudo, é de onde eu tiro por base o meu material, se tão gostando, se não tão gostando, é quem me ajuda a conseguir tudo! Sem eles a gente não tem nada! São eles que dão valor ao nosso talento, dão valor à nossa música, que conseguem subir uma hashtag para a gente fazer um programa! E eu tenho muito amor e sou muito grato e vou sempre ser por tudo que fazem por mim e eu sempre tento de alguma forma retribuir e é isso.

 

Você vai gravar com a CAPRICHO (o programa foi exibido ao vivo ontem, 17, na TvCapricho mas pode ser conferido por esse link)! Você está muito ansioso para gravar? Como você está?

Michael: Eu to bem feliz na verdade, a gente sempre fica um pouquinho ansioso né, mas é muito legal voltar a fazer agenda de TV e esses tipos de coisa. E espero que a galera assista, vai ser bem legal! Eu devo tocar alguma coisa, mas é isso. Ansiedade sempre tem um pouquinho, mas nada muito grande!

 

E foi essa a nossa entrevista com Michael! A gente adorou falar com ele e não podemos esperar para assim que possível conhecer ele pessoalmente. Ele merece todo o sucesso que tem hoje e com certeza ainda vai conquistar mais coisas, vai ter um futuro incrível na carreira solo, sem dúvidas!

Logo logo faço post também, contando como foi conhecer o Chris Figueiredo e o que eu e a Victória tivemos que passar para conseguir uma entrevista dele! Espero que tenham gostado da entrevista com o Michael…

 

Beijos, Larissa.

 

Entrevista Lenx&Denx

Há um tempo atrás nós tivemos a oportunidade de entrevistar os meninos do Duo Lenx&Denx e como vocês gostaram bastante do ultimo post sobre eles nada mais justo que compartilhar com vocês essa entrevista que conta um pouco mais da carreira e da amizade deles.

12243494_726977734099470_3141633978017172730_n

Como vocês decidiram começar na carreira de DJ?

Denx: Ah eu escuto musica desde pequeno, desde pequeno eu sei tocar piano, teclado, saxofone, clarineta, violão. Sempre fui muito influenciado no modo artístico, eu fazia parte de uma banda de rock, antes eu cantava e também tocava violão na banda, mas não foi muito minha onda. Fiquei um ano e meio com a banda e então eu decidi mudar, comecei a gostar mais de musica eletrônica. Umas das primeiras musicas eletrônicas que eu ouvi foi Infinity (Guru Josh Project).

Eu precisava ganhar dinheiro né, meu pai começou a trabalhar muito cedo e ai eu queria começar a trabalhar cedo também, e minha mãe falava que eu precisava trabalhar com o meu hobby. Então eu comecei a organizar evento, fazer evento para pessoas mais jovens, matine, evento de formatura e eu comecei a tocar nos eventos, mixar e tal. E eu já sabia mais ou menos como mexer em instrumentos, um dia eu fui fazer uma matine com uma grupo de rap e eu tinha chamado o Lenx para me ajudar.

Lenx: Eu também fazia evento na época, os dois trabalhavam com eventos e ele me chamou pra fazer a festa com ele. Fora a parte musical eu já sabia que ele meio que era DJ e ele sabia que eu gostava de musica eletrônica também.

Denx: Então nós brigamos porque na ultima semana para o evento o Lenx decidiu sair do evento, e deu prejuízo. Ai depois de muito brigamos a gente começou a conversar “po você gosta de musica e eu tambem” e ai nessas a gente virou super amigo, nós falávamos sempre. Ai nós pensamos em formar uma dupla, mas ficou aquela duvida “qual vai ser o nome?” demoro uns dois dias e saiu o nome Lenx&Denx.

Denx: Foi mais ou menos assim resumindo: A gente brigo, ficou inimigo. Ai eu comecei a conhecer ele, e por skype a gente conversou pra se acertar e então viramos muito amigos. E ai ele me ensinou a produzir, porque eu ja sabia como funcionava os instrumentos. A gente começou a produzir e a tocar em festinhas.

Como é pra vocês receber reconhecimento de DJs internacionais?

Como qualquer outro trabalho quando você faz alguma coisa você espera que as pessoas gostem, por mais que você faça por amor você curte quando as pessoas gostam. E ter a opinião positiva de pessoas famosas, por exemplo Dimitri Vegas & Like Mike e Tiësto que tocaram as nossas musicas, nós deixa muito feliz. A gente é muito jovem, nós somos os DJs mais jovens que foram assinados pela Spinnin Records e isso foi muito bom pra gente. Nós trabalhamos muito para ter reconhecimento e é isso que a gente quer fazer pra vida inteira.

Tem algum DJ que vocês admiravam muito e ja puderam conhecer?

Ftampa, Felguk, Adriano Pagani, todos esses são muito amigos nossos e nós conversamos muito!

Como é a relação de vocês com os fãs?

A gente sempre trata todos muito bem, nós gostamos de conversar com eles. O que mais marcou foi uma festa em São Luís que tinha muito fã, a gente nem conseguia entrar no palco e nós demos atenção pra todo mundo, foi muito legal! Nós temos uma hashtag também #FamiliaLenx&Denx que são todos os nossos fãs juntos, isso é muito bom!

Vocês são  já foram reconhecidos na rua? Ou qual foi a coisa mais louca que aconteceu?

Já aconteceu de perguntarem “você é o Dj?”. Já tiveram fãs que rasgaram a roupa, ja sentaram no colo, tentaram beijar e já e pularam no backstage. É bem louco!

Pelo hanking de DJs brasileiros vocês estão entre os 100 melhores, como é isso pra vocês?

É muito legal! A gente se esforçou muito e a gente espera chegar no top 50.

Vocês tem projetos que possam adiantar para nós?

A gente tem muito lançamento, musica com Djs bem grandes e projetos com Djs internacionais.

 

E ai gostaram? Deixem aqui nos comentários. Vocês podem acompanhar eles pela pagina do facebook, twitter ou instagram.

Victória Silva

Steve Aoki #Retro2015

Aproveitando os embalos do Kaballah Festival que neste carnaval vai contar com a apresentação de Vintage Culture, Chemical Surf e Steve Aoki, resolvi fazer uma retrospectiva do EDC 2015 e postar o bate papo rápido com o DJ Steve Aoki, 38 anos.

Foto por Victoria Silva – EDC

O que você mais gosta no Brasil?
São os fãs, a plateia, a paixão e a energia. O publico aqui é muito memorável, eu me lembro de show de anos atrás! Ver os rostos e a energia é a razão de fazer o que eu faço, ir para o estúdio e fazer musicas, é razão fazer turnês… Esses momentos épicos que acontecem aqui no Brasil.

Tem alguma coisa que você não fez antes no Brasil mas que você gostaria de fazer agora?
Eu ainda não joguei bolo em você (risos)! Bom eu sou uma pessoa cheia de improvisações, então vamos ver o que vai acontecer. Talvez dar uma voltar por São Paulo, olhar a cidade…

O que você acha sobre a mistura do pop com a musica eletrônica?
Eu amo fazer colaborações com todos estilos, se alguma coisa ainda não foi feita eu quero tentar fazer. Quando as pessoa aceitam a colaboração, quando essa colaboração vira um sucesso, significa que as pessoas estão aceitam mais e isso é bom para mim porque permite que as pessoas gostem da minha musica. E isso é que me inspira e vamos ver o que está por vier!

Eai quem está ansioso pra ver o DJ se apresentar no dia 8 de fevereiro no Guarujá? Você pode encontrar mais informações do evento aqui !

Victoria Silva

Entrevista exclusiva com Alok

 Durante o EDC nós conversamos com o ALOK, que com apenas 24 anos é considerado o melhor DJ brasileiro pela revista House Mag e já se apresentou ao lado de nomes como David Guetta e Armin Van Buuren! Após a se apresentar no EDC e mesmo com chuva deixar o publico eufórico, o DJ também vai marcar presença na Tomorrowland Brasil em 2016!

Como foi pra você ser o numero 1º dos DJs o ano passado?

É… Bom, ser numero um pra mim significa aumentar a responsabilidade, então assim, a partir do momento que você vira o numero um você não tem espaço pra falhas e eu sou um ser humano repleto de falhas, então eu levo ao mesmo tempo um grande triunfo e uma grande responsabilidade. Eu acho que ser o numero um foi um dos maiores desafios da minha vida, antes o numero 1º era o cara mais cool ou o mais legal e depois o numero um virou o alvo de tudo! Então eu acho que amadureci bastante de lá pra cá, talvez o ano passado eu nem estivesse tão pronto pra ser o numero um, mas esse ano eu amadureci bastante e posso ser reconhecido como esse cara [o numero um].

O que você mais gosta quando faz shows fora do Brasil e em conseguir esse reconhecimento internacional?

Eu acho que quando você quebra as barreiras e mostra seu trabalho fora do país tem dois pontos: Primeiro eu sinto que o Brasil é carente de reconhecimento internacional, então quando tem alguém que vai lá fora, faz um trabalho e representa o país as pessoas valorizam muito isso. O segundo ponto quando eu fiz as minhas musicas começou a fazer sucesso só no Brasil, chegar lá fora e bombar é fugir das formas e quebrar os rótulos.

O que você mais gostou do show de hoje (no EDC)?

Eu acho que foi todo o contexto das pessoas estarem molhadas por causa da chuva e se entregarem de corpo e alma pra esse evento. Eles não vieram só consumir a musica, eles vieram consumir uma nova experiencia. Tem certeza que a partir de hoje a vida dessas pessoas vai ser diferente, eles vão levar pra casa algo a mais.

Tem alguém que você tinha como inspiração e que hoje você tem o prazer de conhecer?

Varias pessoas que eram minha inspiração no passado e hoje são os meus parceiros de produção. Eu vejo como grandes ícones Daft Punk, Chemical Brothers, Diplo, Skrillex… Eu ainda vou chegar lá!

Como se sente sendo uma influencia para os novos DJs?

Eu acho que a gente tem que passar uma mensagem, como vou dizer… Hoje em dia as pessoas elas perderam muito a fé, então quando você da uma dose de inspiração para as pessoas é o empurrão que faltava para elas conseguirem seguir em frente! Ser DJ não é facil, ainda mais você tendo que seguir um caminho que muitas vezes é incerto, porque a “formula” que a gente tem que seguir é fazer faculdade, ser formar e ter um diploma. Ser DJ não é bem por esse caminho, então acaba tendo essa insegurança. Então eu para influenciar a pessoas digo que tem que ter bastante personalidade, tem que ser autentico, tem que fazer um som único e não tentar seguir a boiada.

Eai gostaram? Tem alguem ansioso pra ver ele na tomorrowland tambem haha?

Victória Silva

Moshe

Conheça a dupla carioca de DJs Moshe, Luiz Guilherme e Pedro Henrique.

 

Como vocês começaram a tocar?

A gente começou a tocar de brincadeira no meio de 2012…Em 2013 o Lugui foi para Londres e fez um curso de DJ por lá, e de lá começou o interesse pela produção, que começamos a praticar em mais ou menos Abril de 2013. O projeto Moshe começou em Março de 2014!

Vi vocês tocando no Play holi para 20 mil pessoas, como isso para vocês?

A participação no set dos nossos amigos do Lenx & Denx foi animal! Foi o maior público que já tocamos, mesmo sendo só por 10 minutos! Ver todo mundo feliz e pulando ouvindo as nossas músicas é uma sensação indescritível!

Tem algum dj que vocês se inspiravam e ja tiveram o prazer de conhecer?

Tem alguns! Felguk, Marcelo CIC, Johnny Glövez, Jakko…São tantos! Inclusive já tivemos o prazer de dividir o estúdio com alguns deles Emoticon grin

Vocês tem algum projeto d CD? O que podem adiantar sobre o futuro da dupla?

No momento estamos focando mais em lançar Singles! O que podemos adiantar é que temos muitas músicas novas, inclusive algumas são colaborações com grandes nomes da cena e que estamos muito animados para mostrar para a galera! Infelizmente não podemos dizer os nomes agora, mas podemos dizer que tem um novo Remix do Moshe e do Future Lines que será lançado de graça em breve!!

Como é a relação de vocês com as fãs?

É a melhor possível! A gente tenta sempre responder a todos que mandam mensagem e comentam nos posts das redes sociais Emoticon smile

Qual a relação de voces com os djs que tambem estão no começo da carreira?

Muito boa! Temos muitos amigos DJ’s/Produtores que estão em começo de carreira também…Procuramos sempre trocar informações!

Qual o maior sonho de vocês?

Nosso maior sonho é construir uma carreira sólida e tocar pelo mundo inteiro!

Victoria Silva